Terceiro dia – parte A – Um vet no Aconcágua

Após uma noite com varias horas de sono, já comecei a me sentir melhor! A cabeça doía bem menos e o enjôo passara! Talvez não tenha sido mais que 5 ou 6 horas de bom sono, mas fizeram a diferença! Tomamos nosso café da manha e colocamos as mochilas nas costas! Hoje o dia seria duro!  Nosso plano era sair definitivamente do nosso acampamento em Confluência a 3.400 metros de altura e seguir para nossa próxima base, a 4.300 metros, chamada Plaza de Mulas!

Paisagem da região de manhã

Paisagem da região de manhã

Confluência tinha este nome pois era o encontro de dois rios: Orcones Superior e Orcones inferior! Ambos traziam a neve derretida do alto da montanha, por caminhos diferentes e se juntavam naquele ponto, e eram os maiores afluentes do que viria a se tornar o Rio Mendoza!

Um fato interessante era que de manhã cedo, suas águas eram bem claras e tranquilas. Já na parte da tarde, se tornavam caudalosas e barrentas. Isso porque ao longo do dia o sol aquecia e derretia grandes quantidades de neve, que encorpavam os rios e reviravam o solo. Já Plaza de Mulas, tinha este nome pois era a última estação onde as mulas chegavam! Isso mesmo! Também me senti chateado com isso! Me propus a tentar fazer a expedição sem nenhum tipo de exploração animal mas não consegui! As organizações da expedições usavam transporte em Mulas, que levavam mantimentos até este acampamento! Portanto, levaram minha comida! Não que isso justifique o fato, mas haviam balanças no acampamento e um peso máximo de 40 quilos que uma Mula poderia carregar! Na maioria das vezes, elas eram muito fortes e passavam correndo, o que me faz pensar que talvez não fosse muito peso para elas! De qualquer forma, isso não justifica a exploração.

Antes de iniciar a caminhada, fiz mais uma medição da minha oximetria! Primeiro caíra de 94% para 88%. Agora caíra mais um pouco, para 86%! E a pressão arterial, me pareceu com um intervalo muito grande, 130 por 70! Mesmo assim, me sentia muito melhor que no dia anterior! Muito melhor!

Começando um longo dia de escalada

Começando um longo dia de escalada

Começamos a caminhada que estava prevista para 10 horas seguidas! De uma em uma hora, outras vezes de duas em duas, fazíamos pequenas paradas para beber água e comer alguma coisa, do kit lanche que levávamos em nossas mochilas!

O cenário era maravilhoso. Altas montanhas nevadas dos dois lados da trilha, que a mim parecia ser um leito de rio seco! Talvez este rio surja em determinada época do ano, ou talvez esteja seco a milhares de anos, sinceramente não me preocupei em perguntar aos guias, estava fascinado de mais com o caminho.

Ao final da tarde

Paisagem ao final da tarde

Na maior parte deste vale, seguíamos reto até perder de vista, sem atalhos. Isso permitiu que nos afastássemos uns dos outros, coisa que em outras circunstancias evitávamos! De minha parte fui deixando um grupo desaparecer a minha frente, e o grupo que vinha atrás, fez uma parada extraordinária para alguém passar protetor solar! Aproveitei e de repente me vi completamente sozinho no meio do vale, talvez a quilômetros distância de qualquer outro ser vivo, com um sol brilhante acima de mim, e enormes picos nevados à direita e à esquerda! Liguei meu iPod com minhas músicas preferidas enquanto marchava e de repente comecei a chorar de emoção!

Veterinário Wilson Grassi

Advertisements

One thought on “Terceiro dia – parte A – Um vet no Aconcágua

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s